Apresentação do WLTP

Sob as condições definidas pela legislação da UE, o teste em laboratório do Procedimento Mundialmente Harmonizado de Testes a Veículos Ligeiros (WLTP) é utilizado para medir o consumo de combustível e as emissões de CO2 dos veículos de passageiros, bem como as suas emissões poluentes.
Alt Text

O que é o WLTP?

Sob as condições definidas pela legislação da UE, o teste em laboratório do Procedimento Mundialmente Harmonizado de Testes a Veículos Ligeiros (WLTP) é utilizado para medir o consumo de combustível e as emissões de CO2 dos veículos de passageiros, bem como as suas emissões poluentes.

O antigo teste de laboratório - o chamado Novo Ciclo de Condução Europeu (NEDC) - foi concebido na década de 1980. Devido às evoluções da tecnologia e das condições de condução, ficou desatualizado. Consequentemente, a União Europeia desenvolveu um novo teste, chamado Procedimento Mundialmente Harmonizado de Testes a Veículos Ligeiros (WLTP). O setor automóvel da UE saudou a mudança para o WLTP, tendo contribuído ativamente para o desenvolvimento do mesmo.

What is the RDE master

Qual a diferença entre o NEDC e o WLTP?

Enquanto o teste NEDC antigo determinava os valores de teste com base num perfil de condução teórico, o ciclo WLTP foi desenvolvido com dados de condução real, recolhidos em todo o mundo. Desta forma, o WLTP representa perfis de condução quotidiana.

O ciclo de condução WLTP está dividido em quatro partes com diferentes médias de velocidade: baixa, média, alta e muito alta. Cada parte contém diversas fases de condução, paragens, fases de aceleração e travagem. Para um determinado tipo de veículo, cada configuração de grupo motopropulsor é testada com o WLTP para a versão mais leve (mais económica) e mais pesada (menos económica) do veículo.

O WLTP foi desenvolvido com o objetivo de ser utilizado como um ciclo de testes global em diferentes regiões do mundo, para que as emissões poluentes e de CO2, bem como os valores de consumo de combustível, pudessem ser comparados à escala mundial. No entanto, apesar de o WLTP ter um "núcleo" global comum, a União Europeia e outras regiões vão aplicam os seus testes de forma diferente, consoante a sua legislação de trânsito rodoviário e necessidades.

Alt Text
Alt Text

As vantagens do WLTP

O WLTP introduz condições de teste muito mais realistas. Nestas incluem-se:

  • Comportamento de condução mais realista
  • Maior diversidade de situações de condução (urbana, suburbana, estrada principal, autoestrada)
  • Maiores distâncias de teste
  • Temperaturas ambientes mais realistas, mais próximas da média europeia
  • Velocidades médias e máximas mais elevadas
  • Potências médias e máximas mais elevadas
  • Acelerações e desacelerações mais dinâmicas e representativas
  • Paragens mais curtas
  • Dispositivos facultativos: os valores de CO2 e o consumo de combustível são fornecidos para veículos individuais à saída da fábrica
  • Condições mais rigorosas de preparação e medição dos veículos
  • A possibilidade inclusão dos valores de melhor e pior cenário nas informações ao consumidor, refletindo as opções disponíveis para modelos de automóveis semelhantes.
Devido a todas estas melhorias, o WLTP fornece uma base muito mais precisa para calcular o consumo de combustível e as emissões de um veículo. Isso vai garantir que as medições laboratoriais reflitam melhor o desempenho em estrada do mesmo.

Transição do NEDC para o WLTP

  • O WLTP aplica-se oficialmente a novos tipos de automóveis desde setembro de 2017. Por “novos tipos” entende-se modelos introduzidos pela primeira vez no mercado.
  • Os fabricantes devem solicitar aprovações de WLTP para novos tipos de automóveis desde que a legislação entrou em vigor na União Europeia (julho de 2017).
  • O WLTP aplica-se a todos os novos registos de veículos desde setembro de 2018.
  • Desde de 1 de janeiro 2019, todos os veículos nos Concessionários devem apresentar apenas valores de CO2 de acordo com o WLTP, para evitar qualquer confusão entre os consumidores.
  • As medidas da UE para veículos em fim de série permitem que um número limitado de veículos não vendidos em stock que tenham sido aprovados ao abrigo do antigo teste (NEDC) sejam vendidos até setembro de 2019.

O teste de emissões de condução reais (RDE)

O teste de emissões de condução reais (RDE) mede os poluentes (como, por exemplo, o NOx) emitidos por veículos quando são conduzidos na estrada. O RDE não substitui o teste de laboratório WLTP, mas complementa-o, garantindo que os veículos apresentam baixas emissões em todas as condições de condução em estrada. A Europa é a primeira região mundial a introduzir esses ensaios em estrada, assinalando um grande salto nos testes de emissões dos automóveis.

Essas condições incluem:

  • Altitudes baixas e altas
  • Temperaturas durante todo o ano
  • Carga útil adicional do veículo
  • Condução em subidass e descida
  • Estradas urbanas (baixa velocidade)
  • Estradas rurais (média velocidade)
  • Autoestradas (alta velocidade)